terça-feira, outubro 10, 2006

A Energia do AMOR

Existem momentos em que gostaríamos muito de ajudar quem amamos muito, mas não podemos fazer nada. Ou as circunstâncias não permitem que nos aproximemos, ou a pessoa está fechada para qualquer gesto de solidariedade e apoio.
Então, resta-nos apenas o amor.
Nos momentos em que tudo é inútil, ainda podemos amar - sem esperar recompensas, mudanças, agradecimentos.
Se conseguirmos agir desta maneira, a energia do amor começa a transformar o universo à nossa volta. Quando esta energia aparece, consegue sempre realizar o seu trabalho.
O amor transforma, o amor cura.
Mas às vezes, o amor constrói armadilhas mortais, e termina destruindo a pessoa que resolveu entregar-se por completo.
Que sentimento complexo é este que - no fundo - é a única razão para continuarmos vivos, lutando, procurando melhorar? Seria uma irresponsabilidade tentar defini-lo, porque, como todo o resto dos seres humanos, eu apenas consigo senti-lo. Milhares de livros são escritos, peças teatrais encenadas, filmes produzidos, poesias criadas, esculturas talhadas na madeira ou no mármore, e mesmo assim, tudo que o artista pode passar é a idéia de um sentimento - não o sentimento em si.
Mas eu aprendi que este sentimento está presente nas pequenas coisas, e se manifesta na mais insignificante das atitudes que tomamos, portanto é preciso ter o amor sempre em mente, quando agimos ou quando deixamos de agir.
Pegar o telefone e dizer a palavra de carinho que adiamos.
Abrir a porta e deixar entrar quem precisa de nossa ajuda.
Aceitar um emprego. Abandonar um emprego.
Tomar a decisão que estávamos deixando para depois.
Pedir perdão por um erro que cometemos e que não nos deixa em paz.
Exigir um direito que temos.
Abrir uma conta no florista, que é mais importante que o joalheiro.
Pôr a música bem alta quando a pessoa amada estiver longe, baixar o volume quando ela estiver perto.
Saber dizer "sim" e "não", porque o amor lida com todas as energias do homem.
Descobrir um desporto que possa ser praticado a dois.
Não seguir nenhuma receita, nem mesmo as que estão neste parágrafo - porque o amor precisa de criatividade.
E quando nada disso for possível, quando o que resta é apenas a solidão, então lembrar-se de uma história que um leitor me enviou certa vez:
"Uma rosa sonhava dia a noite com a companhia das abelhas, mas nenhuma vinha pousar em suas pétalas. A flor, entretanto, continuava a sonhar: durante suas longas noites, imaginava um céu onde voavam muitas abelhas, que vinham carinhosamente beijá-la. Desta maneira, conseguia resistir até ao dia seguinte, quando tornava a abrir-se com a luz do sol.
Certa noite, conhecendo a solidão da rosa, a lua perguntou:
- Você não está cansada de esperar?
- Talvez. Mas preciso continuar lutando.
- Porquê?
- Porque, se eu não me abrir, eu murcho."
Nos momentos onde a solidão parece esmagar toda a beleza, a única maneira de resistir é continuarmos abertos.

PAULO COELHO

14 comentários:

Nina disse...

Que bonito regresso!

E a verdade é essa mesma...o amor nunca será suficientemente escrito, definido ou explicado...simplesmente porque não existem palavras para tal.

De facto, se não sonharmos ou mantermos a esperança viva, a nossa alma morre. Quem não espera nada da vida, quem já não acredita, tambem já não vive.

Paty disse...

Sábias palavras as de paulo coelho...sempre acertadas e certeiras!
O dificil mesmo é conseguirmos abrir o coração, deixar pelo menos a janela aberta ou entreaberta, para que a vida nos inunde de coisas novas e boas...
Excelente texto...como sempre ;)!
Desejos de que tudo esteja muito bem contigo!
Beijinhos

sweetmelody disse...

muito sábio paulo coelho é assim msm...
vou voltar gostei do k li
bjinhos

Carlinha disse...

Olá Porquê!
Lindíssimo este texto de Paulo Coelho. Parabéns pela escolha.

Mikas disse...

Bom fim de semana

João C. Santos disse...

Boa escolha...

Boa semana...

Å®t_Øf_£övë disse...

Porquê?,
A dor do amor é uma dor que dói... dói muito...
É uma dor que arrasa, e deixa o coração em brasa. Às vezes chega a amargar, e espreme tanto o coração que este parece que chega ao ponto de ser esmagado.
Às vezes penso que seria melhor não amar...
Mas a verdade é que nós precisamos do amor, e de toda a energia que ele nos transmite para vivermos, por isso, quando se ama alguém a sua presença conforta... só a presença, não é preciso mais nada.
Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que a pessoa nos dá, ou pelo tormento que nos provoca... Ama-se pelo tom de voz, pela maneira como os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos esperamos. Ama-se justamente pelo o que o amor tem de indefinível.
Não há sentimento mais bonito que o amor, e é bom deixarmo-nos amar.
Beijinhos.

Å®t_Øf_£övë disse...

Porquê?,
Não há amor que resista a tanta falta de energia...

:)

Aguardo novidades por aqui.
Bom fds.
Beijinhos.

Lis57 disse...

Bonito este texto de Paulo Coelho.
Realmente nem sempre é fácil definir e lutar por um amor, mas o mais importante é nunca desistirmos de nós próprias.
Um beijo
Boa semana

pensamentos disse...

Porquê!!!...
Há quanto tempo!!!
Passei só para te deixar um beijo

João C. Santos disse...

na procura de um novo post deixo o voto de um bom fim de semana

recorrente disse...

Gratos pela visita
voltaremos...mas só à noite!

Lis57 disse...

Belo texto este. Não é fácil definir o amor, mas na verdade a vida só faz sentido quando amamos. Quando resolvemos fechar o coração ao amor, ficamos como mutilados, pois estamos a deixar morrer talvez o melhor de nós.Por isso nunca façam como eu..lutem pelo amor, nunca desistam dele.

Um beijo

Å®t_Øf_£övë disse...

Porquê?,

Gosto e desgosto com gosto... e especialmente hoje gostava que passasses no "About Last Night"...
Beijinhos.